sábado, 30 de julho de 2016

Back and Forth.

"Ah, meu amigo, você deveria voltar a escrever..."

Pensei no que, em que, como que.

Sempre que usei esse espaço, o fiz abrindo a alma. Mas, contudo, sempre tive medo que a vida removesse tal capacidade de ler meu íntimo. Trabalho, estudo, investimento de vida, crescimento profisional e pessoal... Venetas de evolução que costumam entrar e permear os dias e noites, deixando escasso o tempo para ler o nosso próprio reflexo.
Só que, metido a profundo como sou, nunca deixei de mergulhar comigo em mim. Nunca. Pra mim, isso é como respirar, como me hidratar, viver.

Pretendo voltar,
Me explorar,
Me esvaziar,
Me deixar.

Pra mim, pra tudo.



Phones: Just Say The World Away - Young Kato.




domingo, 8 de setembro de 2013

Learning.

A ter paciência. Fazer condolência. Perceber a essência. Evitar saliência. Valer a preferência. Usar veemência. Cultuar a coerência. Ser inteligência. Respeitar a resistência. E ter paciência. 

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

New year's eve.

E hoje acaba um ano que começou com um susto, seguido que uma vitória abençoada pra toda minha família. Só por ela, todo o agradecimento é pouco. E assim se seguiu, com perdas, conquistas, felicidades, tristezas, consolidaçoes. Amores foram pra longe e não ter presenças de uma vida inteira ao seu lado pode ser dificil, entretanto mais amores entraram cada vez mais em minha vida. E eu me vejo cercado deles, de perto ou de longe, amado. Trabalho duro, esforço e foco, sempre. Algumas realizações não se concretizaram. Mas o mais difícil, o arar do terreno, a preparação pra tudo, foi e está sendo bem feita. Agradeço pela saúde dos meus, pela sabedoria para preparar meus sonhos, e firmar minhas âncoras. Peço um novo ano de paz, luz, saúde e boas vibrações, pra mim, pra nós. O restante, somos capazes de alcançar. Feliz 2013, minha gente!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

quinta-feira, 8 de março de 2012

Life is too short to even care at all...

Sufocado. Hoje tô assim. O pior é estar sufocado por mãos amigas, amadas. Amigas? Amadas? Amantes. Pensando mais "out of focus", ter a certeza de que não há mais certeza me angustia. Me angustia mais do que essa tal falta de ar carinhosamente causada pelos meus. Pelo meu. Mas, e vale a pena se prender a isso? Há tempo? E se houver, o brightside não seria mais prazeroso de observar? Afrouxando o nó da gravata borboleta humana carinhosamente e respirando junto, mesmo que com dificuldade? E se esse tempo não houver? Ok, repasso a pergunta. E sem mais por hora, afinal, amanhã ainda tem verdade do lado de fora do meu wonderful wonderful world...

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

With one headlight

"Hey, come on try a little.
Nothing is forever
There's got to be something better than
In the middle"